Artigos

Aqui falamos do universo das marcas

Quanto você deve investir na sua comunicação?

Sabemos o quando pode ser desafiador ser micro ou pequeno empreendedor, são muitas dúvidas e poucos recursos para contratar grandes profissionais!

É importante você saber quando pode economizar na criação de material de comunicação sem maiores consequências, então hoje eu resolvi falar para vocês qual o nível e tipo do profissional que você deve escolher para criar seus diferentes materiais de comunicação.

Os valores a investir dependem do seu orçamento, do momento da sua empresa e da sua ideia de crescimento, mas eu espero que te ajude a entender melhor como usar o seu suado dinheirinho na sua comunicação.

Iniciando pela criação do nome da sua empresa, isso pode parecer tarefa fácil, mas muitas pedras estão no seu caminho para se ter um nome original e registrável. É preciso fazer muitas pesquisas de disponibilidade e nunca se apegar ao nome inicialmente escolhido. Falei sobre isso e sobre as dificuldades de se registrar uma marca em outro artigo, aconselho a leitura. Amigos e familiares podem trazer boas ideias, assim como o designer que está fazendo a sua marca, mas um profissional de branding fará com que você reduza muuuuito o risco de ter que refazer tudo mais tarde. Se você pode investir no profissional certo e depois num escritório de registro de marcas, invista e garanta sua tranquilidade futura. São anos até você saber se a sua marca não foi indeferida pelo INPI!

Pelos motivos que eu falei neste outro artigo, para criar uma marca original o melhor profissional é um designer ou um arquiteto que tenha experiência com branding ou que tenha já um bom portfolio de marcas. Para criar o seu logotipo é importante que este designer tenha pelo menos uns 5 anos de experiência, quanto mais melhor. Não economize, a não ser que você não dê importância para a sua marca. Quem tem um pequeno negócio de bairro e NÃO pretende crescer, por exemplo, uma loja de material de construção ou um cabeleireiro de rua onde mal se vê o nome, pode ter uma marca com menos investimento. Mas se você pretende que a sua empresa tenha uma vida longa, é imprescindível investir alguns milhares de reais nela e também que ela já contenha um Sistema de identidade visual no seu Manual de uso da marca, não só um logotipo, para te guiar na aplicação dele. A entrega tem que conter a sua marca em cores, em PB e em 1 cor (tanto em vetor, para impressos, quanto em png, sem fundo, para os materiais digitais), além de materiais básicos, como assinatura de email e cartão de visita. Aconselho pedir sempre o Manual, não só o logotipo, mas isto tem um custo a mais, pois leva tempo.

Communitaria_tom-de-vozMelhor ainda que ter um manual de uso é ter um Guia de gestão da marca, que é um guia da linguagem verbal e visual a ser usada, que conterá o propósito e a personalidade de marca, seu slogan, os tipos de imagem e a tipografia, assim como o uso prático do sistema de identidade visual. Este guia serve para que a sua empresa possa contratar diferentes profissionais, sem perder a consistência no uso da marca. Mas este guia não é necessário para todos, ele serve para as empresas que terão como parceiras uma agência de marketing digital, outra de publicidade, outra de produto, ou então para as que têm um setor interno de marketing e design, para que o uso da marca não se perca com o tempo. Pequenos negócios onde o proprietário é muito presente em todas as áreas, costumam ter a personalidade deste, dispensando este investimento inicialmente (mas será importante no crescimento).

Para um projeto de branding, seu contratado para a criação da marca terá que ser alguém ou uma agência especializada em branding, não somente um designer com experiência, pois é um trabalho de estratégia de comunicação aliada à estratégia de negócios. Uma agência terá vários profissionais e custará mais caro do que um consultor em branding/designer, pois precisa manter a sua estrutura. Depende do seu orçamento. Eu costumo fazer sozinha a estratégia de comunicação, apoiando a construção da estratégia de negócios juntamente com o cliente, vendo quais são as suas possibilidades de modelo de negócios e quais as melhores estratégias de divulgação. Mas trabalho com pequenas empresas, que me dão a opção de trabalhar diretamente com o contratante. Recomendo agências para as empresas que têm um departamento de marketing específico e muitos funcionários, onde o trabalho será mais com os diretores e onde será necessário a implantação psicológica do trabalho na empresa. O melhor do projeto completo de branding é que a imagem será certamente mais bem trabalhada e você terá um projeto unificado, seja a marca, o site, a linguagem ou a estratégia de redes sociais.

Para criar o seu site (institucional ou e-commerce) você vai precisar de um designer e de um programador, pelo menos. Este designer tem que ser alguém capaz de definir as hierarquias das informações, a usabilidade do site, a adaptação no celular (responsividade). Você precisa de alguém com experiência na criação de sites, mas que tenha um trabalho estratégico, não só um “pedreiro” digital que vai fazer o que você pedir. A exceção seria no caso de você precisar somente de uma página, enquanto aguarda o site ficar pronto. Se esta página for temporária, por pouco tempo, você pode economizar no designer e até o programador poderia fazer as vezes de designer. Mas saiba que ela não será uma página de impacto. Se você quiser impacto, invista! Um redator publicitário e um revisor são bem-vindos para se ter textos interessantes e bem escritos.

Se você não conseguir investir no profissional ideal para fazer o seu site, existem alternativas mais limitadas, mas mais em conta. Existem templates (modelos editáveis) de sites gratuitos, onde você pode construir o seu site pessoal ou da sua empresa pagando uma taxa mensal baixa. Alguns templates são bonitos, porém, por serem gratuitos, não são exclusivos e outro site poderá parecer muito com o seu. É necessário um certo conhecimento de HTML para personalizar o que for possível, um designer pleno de bom gosto que saiba um mínimo de programação pode te ajudar. Mas se você quer se diferenciar do seu concorrente, não recomendo. Se você quer ter um site que tenha um bom SEO (otimização para aparecer melhor nas buscas do Google), não recomendo. Se você vai ter um site complexo, com muitos acessos, não recomendo. Se o seu site vai ter muitas imagens e textos, não recomendo, pois se você parar de pagar a mensalidade você perde os dados e não consegue transferir todos os arquivos para outro servidor (onde seu site mora). Se você quer parecer uma empresa grande, ou se pretende crescer muito rápido, não recomendo. Mas se for um site apenas informativo de um profissional liberal ou autônomo, ou um pequeno e-commerce de artesão, por exemplo, é possível utilizar os templates do WordPress.com (o.org é bem mais complexo), do Wix (este não é bem indexado no Google, caso você pretenda aparecer na primeira página de busca) ou do Shopify, entre outros.

Outra possibilidade é contratar um designer experiente com sites, que tenha conhecimento básico de programação, para montar o seu site nestes mesmos endereços (sem o programador), mas com um layout a partir do zero ou de uma (bem) melhor personalização do template (fontes, imagens e cores). Assim você consegue ter um site mais original e estratégico e mesmo assim reduzir os gastos, mas deixo claro que o melhor e mais confiável é realmente construir o site com um bom programador.

Se você é pequeno, tem um sistema de identidade visual bem montado e já tem uma estratégia de comunicação definida previamente, você pode investir menos na criação de folhetos, catálogosemail marketings e nas postagens das redes sociais, contratando um designer pleno. Mas é imprescindível que você, pequeno empreendedor, defina, acompanhe e tenha metas precisas para poder construir uma imagem crescente. Apesar de poder contratar um designer com menos experiência, é importante que ele e qualquer outro responsável pela comunicação entenda que sua empresa tem uma linguagem própria, tanto visual como verbal, e que ela tem que ser mantida para que a marca se fortaleça.

Uma agência de marketing digital pode ser muito útil para manter o ritmo das postagens nas redes sociais, mas só contrate se ela te oferecer também um planejamento estratégico de construção de imagem de marca e não somente x ou y postagens por semana. Isso você pode fazer com um designer independente, ou com alguém que trabalhe com conteúdo, se o texto for mais importante que a imagem, gastando muito menos. Uma agência é para se ter um redator, um designer e um planejamento, pelo menos, senão você está gastando a mais do que deveria.

Concordando ou discordando, me faça saber por email: gabriella@turbiani.com. Queremos saber a sua opinião!

 

Obrigada pela leitura e você pode me achar aqui no LinkedIn, ou aqui no Facebook. Estou preparando aulas online de Naming, Propósito e Identidade Visual, quem se interessar pode me mandar um email para gabriella@turbiani.com para entrar na minha lista de futuros alunos, que entro em contato quando tudo estiver pronto.

ABOUT THE AUTHOR

Gabriella Turbiani é fundadora da Turbiani&Co, escritório de branding e design com foco em micro, pequenas e médias empresas. Foi formada em Design Gráfico na ESAG/Penninghen, em Paris, e em Branding, com um MBA da Rio Branco. Um tanto nômade, além de 10 anos em Paris, viveu também em Nova York e no Rio de Janeiro, mas hoje está instalada em São Paulo. Gosta muito mais do contato direto com o fundador da empresa do que com departamentos corporativos, pois a empresa é o reflexo da alma do seu dono.